Revistes Catalanes amb Accés Obert (RACO)

A expropriação coletiva de habitação na renovação urbana de Braga da segunda metade do século XIX

Miguel Sopas de Melo Bandeira

Resum


A cidade de Braga durante a segunda metade do século XIX, tal como as demais cidades portuguesas, foi sujeita a um intenso dinamismo urbanístico, que se manifestou no alargamento da maior parte das ruas do seu centro histórico. Além das alterações do desenho urbano, muitas dos edifícios herdados do passado desapareceram, dando origem a uma nova estrutura cadastral e iniciando uma fase de renovação da edificação.

O presente estudo dá testemunho do processo de expropriação colectivo tutelado pela Câmara Municipal, sistematicamente expresso através de uma série de documentos, constituídos por autos de transação amigável de propriedade, existentes no Arquivo Municipal e que foram privilegiadamente celebrados entre os anos de 1861 e 1928.

A partir da perspectiva das expropriações de habitação foi possível reconstituir o processo de animação urbana, nas suas vertentes rítmicas e espaciais, elegendo a fonte como um elemento indispensável para compreensão da geografia urbana de Braga na referida época.

Text complet: Text complet