Revistes Catalanes amb Accés Obert (RACO)

A presença de dois distintos padrões de organização agrária moldando a região de Cantagalo, província do Rio de Janeiro, na primeira metade do século XIX

Rui Erthal

Resum


A existência e a integração entre dois distintos padrões de organização agrária na região de Cantagalo, na primeira metade do século XIX, constituem o objeto deste artigo. O primeiro deles diz respeito a plantagem cafeeira; calcada na grande propriedade monocultora, no trabalho compulsório e na produção destinada ao mercado externo. Tal organização foi implementada após os curtos ciclos da mineração (final do século XVIII) e da produção de gêneros alimentares (início do século XIX). A economia cafeeira se tornou o grande veículo responsável pelo efetivo povoamento regional, a base do seu sustento econômico e que se prolongou até a primeira metade do século XX. Com ela, se criaram vilas, cidades, estrada-de-ferro e outros elementos da organização regional. O segundo refere-se ao padrão baseado na pequena propriedade familiar, voltado à produção de gêneros; a fim de contribuir para a regularização do abastecimento da cidade do Rio de Janeiro, mercado em franca expansão. Esta organização foi fruto de uma política de colonização oficial, estabelecida e implementada pela Coroa Portuguesa e continuada pelo Império Brasileiro. Deste modo, foi criada a colônia agrícola de Nova Friburgo (1820). Estes dois distintos padrões conseguiram estabelecer pontos de contato, complementaridade e integração.

Text complet: Text complet