Revistes Catalanes amb Accés Obert (RACO)

Nova escala de planejamento, investimento e governança: na macrometrópole paulista

Rovena Negreiros, Sarah Maria Monteiro dos Santos, Zoraide Amarante Itapura de Miranda

Resum


O tema da governança metropolitana vem sendo retomado tanto na discussão acadêmica
quanto nas agendas governamentais. Devido a sua complexidade e escala, os territórios
metropolitanos demandam políticas transversais e articuladas, envolvendo distintos agentes do
desenvolvimento e diferentes níveis de governo. No entanto, a dicotomia entre a configuração
institucionalizada desses territórios e a existência do fenômeno urbano metropolitano somada à
discrepância entre a capacidade de investimentos dos municípios são obstáculos para a
formação de consensos políticos. Novos modelos de financiamento e estruturas institucionais
são necessários para avançar na gestão e governança das áreas metropolitanas. Baseado na
experiência do Estado de São Paulo- com especial atenção a sua nova escala de
planejamento, a Macrometrópole Paulista - o presente artigo objetiva contribuir para o debate
sobre o tema. Conclui-se que a governança metropolitana depende de um sistema público de
monitoramento do processo de implantação de projetos, além da necessária estrutura pública
de planejamento, gestão e diálogo permanente entre diferentes atores – públicos, privados e
sociedade.

Text complet: Text complet