Revistes Catalanes amb Accés Obert (RACO)

A flexibilidade da escuta musical

Gaspar Paz

Resum


Nesse ensaio, analisaremos certos aspectos da crítica artística e da experiência estética que se destacam nas interpretações de Gerd Bornheim. Para ele, a disposição crítica deve acompanhar o processo criativo e a práxis expressiva. Dessa forma, tomaremos como ponto de inflexão a linguagem musical, destacando o contraste entre duas formas de percepção: a escuta intelectualista e a escuta flexível da música. Tais instâncias simbolizam a construção de um denodo interpretativo-prático no qual se acentua o papel da sonoridade. Há ao menos duas hipóteses plausíveis na abordagem bornheimiana. A primeira, fenomenológica, trata a música como linguagem em direção a uma dialética das relações sociais e leva em conta as alternâncias históricas da subjetividade. A segunda se dirige a uma análise mais ampla das expressões artísticas, na qual se destaca o diálogo entre música, teatro, poesia, cinema e artes plásticas. Trata-se, portanto, de valorizar a pertinência crítica da obra de Bornheim e o lugar especial que ele conferiu à relação entre as artes, a filosofia e a política.

Text complet: PDF (Português (Brasil))